Ideias para a música no culto – A música e o culto [3]

Este texto é a terceira parte de um estudo ministrado à equipe de música da Igreja Presbiteriana Adonai, a respeito do papel da música no culto cristão.

Parte 1 | Parte 2 | Parte 3

Nesta última parte do estudo, trago algumas ideias para pôr em prática com relação à equipe de música e os cânticos no culto.

Seleção de músicas

A seleção das músicas deve levar em conta aspectos teológicos. Nem toda música cristã é adequada ao culto, ainda que não tenha nenhuma heresia. Há várias músicas que tocamos que não são adequadas ao culto cristão. Muitas delas não são músicas necessariamente ruins, há muitas músicas que não tem problema nenhum você ouvir em casa. Outras tem sérios problemas teológicos, seja de heresia mesmo, ou de falta de clareza no que quer ensinar.

Existem alguns princípios que podemos usar para a escolha das músicas:

  1. A música é biblicamente/teologicamente correta? A música deve não apenas ser bíblica, mas deve explicar o texto. Não adianta jogar um versículo na letra sem contexto, deixando que o ouvinte interprete da sua maneira. Várias músicas são muito bíblicas, no sentido de que citam um monte de versículos bíblicos, mas ao mesmo tempo muito heréticas.
  2. A música tem linguagem comunitária, ou é muito subjetiva? Ela é muito voltada pro “eu” ou pro “nós”? É muito voltada para sentimentos?
  3. A música é voltada para Deus ou é antropocêntrica? Fala muito do que EU vou fazer, ou exalta quem Deus é e o que ele fez?
  4. A música é clara, compreensível, ou é misteriosa? Uma música pode ser boa teologicamente, mas não adequada para o culto público. As músicas no culto devem ser claras, comunitárias, não muito misteriosas, devem ser adequadas à liturgia, ao ensino, devem ser bíblicas.
  5. A música é adequada a um culto oferecido por crentes? Um outro ponto é que o culto é um serviço oferecido pelos crentes a Deus. Há músicas que parecem ser dirigidas a não-crentes. Elas podem ser adequadas em contextos de evangelização, mas não no culto público.

Preparo da Equipe de música

Muitos evangélicos chamam aqueles que tocam e cantam na igreja de “levitas”. Isso é um erro. Os levitas faziam todo tipo de coisa no templo, não apenas cantavam, e eram uma instituição de Deus para Israel. Se há algo que pode ser comparado aos levitas hoje seria os diáconos. Mas a equipe de música realiza um serviço na igreja: o serviço de guiar a igreja através de adoração a Deus por meio de cânticos.

Por isso, nada mais justo que a equipe de música esteja sempre preparada e apta para realizar essa tarefa da melhor forma possível. Ela tem uma responsabilidade, para com a igreja e para com Deus. Aqueles que não estão dispostos a se preparar para a tarefa, deveriam pensar seriamente se esse é seu lugar na igreja.

  1. A equipe deve estar presente nos cultos e reuniões da igreja. O quarto mandamento diz respeito ao Dia do Senhor. Hoje entendemos que o domingo é o dia que deve ser guardado para o serviço a Deus. A equipe de música deveria valorizar a importância da igreja se reunir para aprender mais e cultuar a Deus junto com os irmãos.
  2. A equipe deve se preparar tecnicamente. Ensaios são importantes. Ouvir as músicas é importante. Se aprimorar por meio de cursos e workshops também. É bom que haja alguma habilidade anterior, mas mesmo quem não tem muita habilidade pode suprir isso com mais esforço para aprender.
  3. A equipe deve se preparar espiritualmente e teologicamente. Mesmo que seja papel do pastor ou líder de louvor selecionar as músicas, a equipe devia ao menos saber o que está fazendo. É importante orar, estar presente na Escola Dominical e nas reuniões de estudo, e ler materiais que a capacite a realizar bem seu trabalho. Assim como o pastor, o presbítero, o diácono devem se preparar para exercer seu dom na igreja, também os músicos devem fazê-lo.

Deixe uma resposta